Imigração

Tráfico humano: 160 pessoas presas na Flórida

today12 de setembro de 2022 23 5

Fundo
share close

Cento e sessenta pessoas foram presas pelo Gabinete do Xerife do Condado de Polk e outras agências por tráfico de pessoas e prostituição na Flórida. A operação que durou sete dias, se chamou “Fall Haul 2” e sete dos detidos são suspeitos de imigração ilegal.

Dentre eles estão professores, um agente penitenciário estadual e, surpreendentemente, um funcionário da Disney, de acordo com o xerife Grady Judd. Entre outros suspeitos estavam 26 homens casados e outros 15 eram de pessoas de fora da Flórida, um deles, vice-chefe de polícia da Geórgia, Jason DiPrima. O vice-chefe tentou contratar uma detetive disfarçada fingindo ser uma prostituta por US$ 180. Ele foi preso e renunciou seu cargo no Departamento de Polícia de Cartersville. O agente penitenciário da Lake Correctional Institution, Keith Nieves (24), de Orlando, também foi preso com a mesma situação.

O professor de Ocoee, Cameron Burke (43), já foi acusado de ter relações com uma estudante de 15 anos na Oak Ride High School, em Orange County e estava sob fiança. Na época do crime, ele era técnico de informática na escola. Outros dois professores também foram pegos buscando por prostituição; Carlos Gonzalez, professor de matemática de 34 anos, alegou que estava apenas ajudando as mulheres doando dinheiro e John Layton (26), instrutor de educação física na West Orange High School foi pego em flagrante tentando pagar US$ 40 pelo programa. Ambos foram presos.

Oa suspeitos ligados ao parque temático da Disney foram Guillermo Perez (57), de Winter Garden, que era carregador de malas no hotel e Samy Claude (26), que trabalhou como fotógrafo diversas vezes contratado pelo parque.


Guillermo Perez (Foto: Polk County Sheriff’s Office)

Durante toda a investigação, duas pessoas foram identificadas como vítimas de tráfico humano e ainda há, possivelmente, outras cinco. O xerife declarou que pode haver mais e que elas devem se apresentar. Um das mulheres, grávida de dez semanas, chegou a receber remédios abortivos. Ele destacou o incentivo à prostituição e como tudo causa tanto sofrimento as vítimas de tráfico que são usadas para este crime. Quando pessoa presa por prostituição se apresenta como vítima de tráfico de pessoas, a lei da Flórida permite que as autoridades apaguem sua prisão do registro público.

Projetos como “One More Child”, “Heartland for Children”, “My Name, My Voice” e “Children’s Home Society of Florida” trabalham em conjunto com o escritório do xerife para fornecer suporte às vítimas.

Written by: spotbraziladmin

Rate it

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *


0%