Mundo

Mãe envia filho com mochila blindada para escola; assista vídeo.

today22 de agosto de 2022 55 1

Fundo
share close

Nos últimos 15 anos foram contabilizados 10 ataques a instituições de ensino nos EUA, totalizando 123 mortes. O histórico de ataques num país desenvolvido, assusta toda uma população e, principalmente, pais com filhos em idade escolar.

Uma mãe americana viralizou quando compartilhou nas redes sociais um vídeo em que seu filho, de apenas cinco anos, fazia um treinamento para se proteger caso aconteça um ataque na escola. Cassie Walton e seus dois filhos moram em Oklahoma, na cidade de McAlester. No vídeo, ela prepara o filho mais velho, Weston, para o retorno às aulas. Ela conta que comprou todo material escolar normalmente, mas optou por colocar uma mochila à prova de balas dentro da mochila comum do filho. Cassie nasceu um ano após o ataque de 1999 na High School, no Colorado, que deixou 12 alunos e um professor mortos. Ela cresceu participando de exercícios na escola e usou o que lembrava para ensinar o filho.

 

 

No vídeo, ela o ensina a se esconder, ficar em silêncio e correr – mas também como neutralizar um professor que pode impedi-lo de pegar sua mochila à prova de balas se ela não estiver com ele no momento de qualquer possível incidente.

“Eu preciso disso! É à prova de balas!’”, diz ele no vídeo, segurando sua mochila do Homem-Aranha.

Apenas alguns meses antes de Weston começar o jardim de infância em período integral, Cassie soube que um atirador de 18 anos havia matado 19 alunos da quarta série em uma escola primária de Uvalde, poucas horas da casa que mora com a família. Logo após, o massacre de 4 de julho aconteceu em Highland Park, Illinois. A vida da família Walton em Oklahoma está bem no meio das duas atrocidades – onde tiroteios em massa continuam acontecendo, repetidamente.

“Acho muito importante ter as conversas, porque está acontecendo em todos os lugares”, relatou a mãe. “E só porque ainda não aconteceu na escola de alguém não significa que não acontecerá ou que não poderia.”

 

Confira a seguir os mais recentes e os mais letais da história:

Uvalde, Texas, 24 de maio de 2022: Um rapaz de 18 anos matou 14 estudantes e um professor na Escola Fundamental Robb na cidade de Uvalde, Texas, localizada entre a cidade de San Antonio e a fronteira com o México, informou o governador do Texas. O suspeito também morreu.

Oxford, Michigan, 30 de outubro de 2021: Um adolescente de 15 anos matou quatro estudantes a sangue frio e feriu outros seis, assim como um professor, no campus da escola de ensino médio de Oxford, Michigan, uma cidade pequena ao norte de Detroit. O atirador foi acusado de “ato terrorista” e “assassinado”. Seus pais também foram processados, algo incomum neste tipo de ocorrência.

Santa Clarita, Califórnia, 14 de novembro de 2019: Um adolescente de 16 anos marcou o dia de seu aniversário atirando em estudantes de sua escola de ensino médio em Santa Clarita, Califórnia, matando dois colegas de turma e ferindo outros três antes de tentar o suicídio. As vítimas tinham entre 14 e 15 anos.

Santa Fé, Texas, 18 de maio de 2018: Um adolescente de 17 anos alvejou 20 pessoas em seu colégio do ensino médio em Santa Fé, no Texas: dois adultos e oito jovens morreram. O atirador está preso desde então.

Parkland, Flórida, 14 fevereiro de 2018: No dia de São Valentim, Nikolas Cruz, um jovem de 19 anos, descarregou seu fuzil semiautomático na escola de ensino médio Marjory Stoneman Douglas, em Parkland, Flórida, da qual tinha sido expulso por indisciplina. Dezessete pessoas morreram, a maioria adolescentes, e o atirador foi preso.

Benton, Kentucky, 23 de janeiro de 2018: Um adolescente de 15 anos atirou e matou outros dois estudantes da mesma idade na escola de ensino médio de Benton Kentucky. Outras 18 pessoas ficaram feridas pelo tiroteio ou no caos provocado pelo ataque.

Roseburg, Oregon, 1° de outubro de 2015: Um estudante de 26 anos matou nove pessoas na Universidade de Umpqua. Ferido, disparou contra a própria cabeça.

Oakland, Califórnia, 2 de abril de 2012: Um homem matou a sete pessoas na pequena Universidade Oikos em Oakland, Califórnia. O atirador, um ex-aluno de origem coreana, foi detido e morreu sete anos depois na prisão.

Newtown, Connecticut, 14 de dezembro de 2012: Depois de atirar em sua mãe, Adam Lanza, um jovem de 20 anos, matou 26 pessoas, incluindo vinte crianças com idades entre 6 e 7 anos, na escola fundamental Sandy Hook. Ele se suicidou em seguida. O grande número de crianças assassinadas gera comoção nos Estados Unidos.

Universidade Virginia Tech, Virgínia, 16 de abril de 2007: Um estudante da Coreia do Sul matou 32 pessoas com suas duas pistolas semiautomáticas antes de suicidar nesta famosa instituição de ensino superior.

Columbine, Colorado, 20 de abril de 1999: Dois estudantes da Columbine High School, de 17 e 18 anos, fortemente armados, mataram 12 colegas e um professor antes de se suicidarem na biblioteca. O número de vítimas teria sido ainda maior se os atiradores tivessem conseguido detonar suas bombas caseiras.

Austin, Texas, 1.º de agosto de 1966: Um ex-soldado da Marinha atirou ao acaso do alto da torre do prédio principal da Universidade do Texas, em Austin, durante mais de 90 minutos em todos os que via abaixo. Ele matou 15 pessoas e feriu 30 antes de ser executado.

Os Estados Unidos são o único país desenvolvido onde se repetem de forma implacável os ataques a tiros em instituições de ensino, como o que atingiu uma escola fundamental no Texas. Pouco mais de um terço dos americanos dizem que alguém em sua casa possui armamento. Contudo, o controle às armas no país ainda esbarra em muitos fatores históricos e estruturais.

Written by: spotbraziladmin

Rate it

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *


0%