Imigração

Biden reinicia a força-tarefa de imigrantes e refugiados

today12 de dezembro de 2022 13

Fundo
share close

Acontece neste momento uma coletiva de imprensa na Casa Branca para apresentar uma nova força-tarefa dos Novos Americanos que será gerenciada pelo Conselho de Política Doméstica e se concentrará no treinamento da força de trabalho, educação e acesso financeiro, bem como no aprendizado de idiomas e cuidados de saúde para imigrantes que já possuem green cards ou outro status legal, de acordo com a Casa Branca. 

Uma versão da força-tarefa existe desde meados dos anos 2000. A mais recente sob o comando do ex-presidente Barack Obama antes de expirar sob Donald Trump, cujas políticas restritivas visavam permitir o menor número possível de imigrantes nos Estados Unidos. A abordagem do governo Biden à imigração – mais especificamente aos imigrantes – é mais acolhedora. O presidente disse muitas vezes que sente que eles “enriquecem os Estados Unidos e tornam a nação mais forte”. 

Existem várias maneiras pelas quais os imigrantes chegam aos Estados Unidos; como refugiados, por meio de programas que permitem status legal temporário para certos migrantes que vêm de países devastados pela guerra ou atingidos por desastres; por meio de vistos e, em seguida, solicitando um green card, e nas fronteiras, onde chegam aos portos de entrada ou atravessam e buscam asilo ilegalmente. E, paralelamente, a Suprema Corte dos Estados Unidos aceitou avaliar uma proposta do presidente Joe Biden que torna crime o incentivo à imigração ilegal para os Estados Unidos. 

Atualmente, o governo está lidando com números cada vez mais altos na fronteira EUA-México e um possível aumento após o fim de uma política da era da COVID que permitiu que as autoridades de fronteira removessem a maioria dos migrantes. O governo Biden estava usando essa política para remover o número crescente de venezuelanos que chegam à fronteira EUA-México. 

O limite dos EUA para admissões de refugiados também sobe novamente para 125.000, após cortes na administração anterior. Esse número exclui os aproximadamente 180.000 ucranianos e afegãos que vieram para os Estados Unidos por um caminho diferente e que se move mais rapidamente do que o programa tradicional de refugiados, mas só permitindo estadias de até dois anos.

De acordo com a Casa Branca, a força-tarefa revisará as políticas e programas de integração existentes e trabalhará para melhorá-los e identificar as novas áreas de necessidade.

Assista ao vivo:

Assista aqui

Written by: spotbraziladmin

Rate it

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *


0%